OBSERVAÇÃO DE AVES

OBSERVAÇÃO DE AVES NO ALGARVE

Conhecido pelo seu clima ameno e belas praias, o Algarve tem muito mais para lhe oferecer, e durante todo o ano.
Com mais de 300 aves de ocorrência regular na região e uma enorme variedade de habitats, o Algarve é um destino de elevada qualidade para observadores de aves, e para todos os que desejam relaxar e apreciar as maravilhas naturais da região.

Várias zonas húmidas como a Ria de Alvor, Lagoa dos Salgados, Ria Formosa ou Castro Marim albergam uma grande variedade de aves nidificantes como o Pato-de-bico-vermelho, a Garça-imperial, o Caimão, a Gaivota-de-Audouin e a Chilreta. Durante o Inverno, estes oásis costeiros enchem-se de milhares de aves aquáticas invernantes como patos e limícolas. E todos estes locais distam apenas alguns kms entre si.

Áreas de serra como Monchique podem ser um refúgio em dias de maior calor. Aqui, o habitat é dominado por florestas e zonas arbustivas de altitude, e a algumas das espécies características destas zonas incluem a Águia-de-Bonelli e a Felosa-do-Mato. No centro do Algarve, a Serra do Caldeirão é uma área vasta e remota onde o “Barrocal” Algarvio atinge o seu esplendor máximo. Espécies como o Papa-figos ou a mais escassa Toutinegra-real são algumas aves emblemáticas deste tipo de habitat tão singular.

No final do Verão e Outono, a migração pós-nupcial é um fenómeno ancestral que não vai querer perder. A península de Sagres em particular congrega centenas de aves planadoras e milhões de passeriformes ao longo da época migratória, especialmente em Setembro e Outubro, mas também ao longo de Novembro. O Grifo, a Águia-cobreira, a Águia-calçada o Milhafre-preto, a Águia-de-asa-redonda e o Gavião são as espécies mais abundantes, no entanto todas as aves de rapina até à data avistadas em Portugal, foram já observadas em Sagres na época migratória. Outras espécies mais escassas são também regulares como o Abutre-do-Egipto e a Cegonha-preta. Os passeriformes migradores mais abundantes são espécies de rabirruivos, felosas, toutinegras, papa-moscas e o Chasco-cinzento. No entanto convém ter sempre presente a possibilidade de registar uma raridade…

As falésias do Oeste Algarvio, para além da sua beleza imponente, albergam espécies como o Falcão-peregrino, a Cegonha-branca, o Melro-azul e a Gralha-de-bico-vermelho.
A costa Algarvia é também um local propício a observação de aves marinhas e a observação a partir de locais como o Cabo São Vicente podem ser uma experiência aliciante. Estas águas são áreas importantes para espécies como a Cagarra, a Pardela-Balear, o Alcatraz ou o Moleiro-grande. Na época de migração é quando existe maior diversidade de aves marinhas, com a presença regular de espécies como a Pardela-de-barrete e o Painho-casquilho.

Mesmo durante o Inverno, em plena época baixa, com praias desertas e temperaturas agradáveis, os campos enchem-se de abibes, tordos, fringilídeos e trigueirões, e é possível encontrar alguns visitantes mais escassos e localizados como a Petinha-de-Richard ou o Garajau-grande, nos locais apropriados.

Outras espécies-alvo características do Sul da Europa como a Pega-azul, o Abelharuco, a Poupa ou o Andorinha-dáurica são aqui bastante comuns e bem distribuídas.
O Algarve é sem dúvida uma região a explorar pelos observadores de aves, onde para além do seu potencial ornitológico e curtas distâncias entre os locais de observação de aves, pode encontrar uma grande variedade de flora e apreciar paisagens deslumbrantes.

Tem interesse neste programa?

Venha conhecer a natureza do nosso país com a Portugal Soul.